Reeducação Alimentar: Cardápio Perfeito para Emagrecer

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Hoje em dia, muito se ouve falar em reeducação alimentar, prática que está tomando conta dos hábitos da população em geral. Mas você sabe do que se trata uma dieta baseada na reeducação alimentar e como emagrecer se utilizando desse artifício?

Para compreender como funciona esse hábito, é necessário entender o que significa aderir a essa prática e como realizá-la, para que possa funcionar de maneira correta e que dê resultados posteriores. Aqui, você encontra tudo que precisa saber sobre o assunto.

Descrevendo o que é reeducação alimentar

O processo de reeducação alimentar se trata de mudanças de hábito de forma progressiva. Trata-se de aprender e de mudar comportamentos antigos que fazem com que você adquira peso e com que afete sua saúde de maneira negativa.

É realizada através de orientações de nutricionistas em que a pessoa que deseja realizar a mudança deve conhecer e incorporar em sua dieta e em sua vida um modo de vida e de se alimentar saudável.

Esse processo não consiste somente no aprendizado. É focado em um processo realizado entre o educador e a pessoa a ser educada, com objetivo de construir o conhecimento, sendo que esse tipo de conhecimento pode ser em qualquer área, como a matemática, a física e agora, também, na área nutricional.

Nas dietas comuns, em que o paciente passa por uma série de restrições e depois perde o peso que deseja, é comprovado cientificamente que ele ficará cada vez mais propenso a comer de maneira desenfreada novamente, por ter passado vontade.

Além disso, nas dietas restritivas não acontece o processo de mudança interna, não há a educação do cérebro para que ele aprenda a se comportar corretamente, sendo assim, as mudanças são apenas temporárias. As mudanças na reeducação alimentar se tornam intrínsecas a quem a realiza.

Para que serve essa mudança de hábitos

A reeducação alimentar possui, assim como a dieta, diversos fins. Porém, o mais comum deles e o mais desejado por grande parte da população que a realiza é, de fato, o emagrecimento. Porém, dependendo da condição de quem a faz, pode ser também para ganho de peso ou até mesmo de controle de colesterol, por exemplo.

Além disso, a reeducação alimentar pode ser realizada também por pessoas que possuem doenças em que o peso deve ser controlado ou por pessoas que irão passar futuramente por uma cirurgia bariátrica, em que se deve estar com um peso ideal, sendo que a reeducação alimentar pode ajudá-lo a alcançar esse peso.

A reeducação alimentar também pode ser útil mesmo em casos que a pessoa esteja saudável e com o peso ideal para ela, pois ajuda a manter esse peso e também a adquirir hábitos de nutrição fundamentais, pois é sabido que a boa nutrição é importante para qualidade de vida e bem-estar.

Antigamente, a Ciência da Nutrição, que envolve a parte da reeducação alimentar, não existia, ou, até mesmo, não possuía os conhecimentos que conseguimos adquirir hoje. Com a evolução das tecnologias, essa Ciência também evoluiu, com conhecimentos bem mais avançados.

Sabe-se hoje que a alimentação, quando aliada ao estilo de vida de qualidade (a prática de exercícios, o controle do estresse, o corte do tabagismo e do consumo de álcool, etc.) influenciam de maneira direta a prevenir e controlar doenças crônicas.

Porém, mesmo que esses fatos sejam cientificamente comprovados, há o prazer que alguns alimentos nos trazem que fazem com que seja cada vez mais difícil de largar hábitos antigos e incorporar hábitos mais saudáveis a nossa rotina.

Na reeducação alimentar, é possível domar o seu cérebro para que ele aprenda que, às vezes, um alimento não tão saudável como doces, pode ser consumido, se esse consumo for feito de maneira consciente e não desenfreado.

É por esse motivo que a reeducação alimentar deve ser personalizada, pois cada um de nós possui uma cultura e até mesmo desejos diferentes. Portanto, cardápios diferentes para cada tipo de pessoa é indispensável para o sucesso desse tipo de hábito.

Efeito Sanfona: O perigo por trás das dietas restritivas

Outro ponto em que as dietas restritivas pegam é o efeito sanfona: o famoso emagrece-engorda, que pode fazer muito mal para a saúde, pois quanto mais vezes você emagrece e engorda, mais difícil é de perder o peso, que se acumula no fígado, causando, posteriormente, doenças perigosas.

É comum que muitas pessoas só adquiram esse estilo de vida após serem diagnosticadas com alguma doença ou tenham algum problema que só pode ser mudado caso mude seu estilo de vida.

Entretanto, esses hábitos, se adquiridos desde cedo, podem evitar muitos problemas que não seriam adquiridos caso houvesse um cuidado anterior. Porém, caso você ainda não tenha se convencido a mudar seus hábitos, aqui vão algumas dicas para ajudá-lo nessa tarefa árdua.

O mais importante é ter em mente que a reeducação alimentar é um processo muitas vezes lento e vai de pessoa para pessoa. Não espere começar a mudar seus hábitos hoje e emagrecer logo na semana seguinte.

Por ser uma mudança saudável, o processo pode levar algum tempo e isso vai depender do metabolismo de cada um. Pense que, por mais que esse processo demore, você ficará muito mais saudável do que ao realizar uma dieta completamente restritiva!

Como mudar o seu estilo de vida e conquistar um lifestyle saudável

Qualquer mudança não é fácil, porém, é preciso ter em mente que você não vai deixar de consumir para sempre guloseimas ou alimentos que não são tão bons para a saúde e vai passar apenas a consumir alimentos considerados saudáveis, como legumes, frutas e verduras.

O primeiro passo é entender que deve haver um equilíbrio entre o que você come e que esse fato deve ser trabalhado dentro da sua cabeça, para que seu objetivo seja atingido de forma mais fácil, sem sofrimentos.

É necessário entender, também, que pode ser que essa mudança não seja um acerto de primeira, e esse processo pode envolver erros, tentativas e acertos, até se chegar no método ideal que você consiga seguir de forma fácil, sem erros.

Também é preciso ter em mente que não adianta se culpar pelo que consumiu, ficando um tempo sem comer ou comendo menos que o necessário. O sentimento de culpa, aqui, de nada adianta, só irá atrasar o seu processo de aprendizagem.

A sua alimentação não deve ser imposta, com um cardápio rotineiro, cheio de repetições e que não deve ser quebrado de nenhuma maneira e que também não pode ser alterado. Ela deve envolver um conjunto de alimentos saudáveis e que ao mesmo tempo dão prazer ao indivíduo, estando culturalmente ligados a ele.

Um exemplo disso é aquele bolo caseiro feito pela sua avó desde criança, que você aprendeu a receita e está com vontade de comer. É possível comer, sim, se souber o equilíbrio entre comer um pedaço ou comer de forma desenfreada. Tenha em mente que você poderá comer de novo, não é necessário comer tudo.

Se você não consegue, sozinho, possuir um equilíbrio e ser seu próprio “treinador”, o melhor a se fazer é procurar um nutricionista para ajudá-lo a seguir o melhor caminho para alcançar o sucesso.

Nesse caso, primeiramente, haverá uma entrevista realizada com o paciente para descobrir sobre os seus hábitos alimentares atuais e todas as informações relevantes que envolvem a alimentação.

É necessário, também, que o nutricionista tenha informações sobre doenças, intolerâncias e como isso está afetando o paciente. O estado emocional do paciente também é essencial para que ele saiba como pode tratar o paciente de forma a não prejudicá-lo posteriormente.

Além disso, o médico irá tirar as medidas antropométricas do paciente, como peso, altura, medidas cutâneas (que podem informar a quantidade de massa magra e de gordura presentes no paciente), tanto quanto alguns dados laboratoriais que fornecem informações essenciais para a mudança do paciente.

Com todos esses dados, o seu médico irá lhe indicar qual a melhor forma de se alimentar e também se exercitar. Outro fator importante é a quantidade de consultas: é necessário estar sempre retornando para que o nutricionista possa avaliar os seus resultados.

Hábitos que podem ser adquiridos por quem quer mudar de vida

Hidrate-se! Quando você está hidratado, o seu corpo consegue liberar de maneira mais fácil substâncias maléficas à sua saúde, evitando, assim, algumas doenças e acúmulo de substâncias indesejadas.

Beber 2 litros de água por dia é o ideal para manter o seu corpo devidamente hidratado, o que equivale de oito a dez copos do líquido, aproximadamente.

Evitar beber líquidos gaseificados, como refrigerantes, também é uma maneira de se manter hidratado.

Evite, ao máximo, comidas fast food. O valor calórico e as quantidades de sódio e açúcar desses tipos de alimentos são muito altos, o que prejudica a saúde de diversas maneiras, além de dar a falsa sensação de saciedade, o que te faz ter fome mais rápido.

Alimentos Integrais

Inclua alimentos integrais no seu cardápio. A substituição de grãos como o arroz branco pelo arroz integral é uma boa pedida para aumentar a sua saciedade e te dar nutrientes melhores. Fique atento, porém, no modo de preparo de cada um desses grãos.

Evitar o consumo de alimentos ricos em gordura também é essencial para a manutenção da dieta balanceada.

Frituras, carnes gordas e queijos amarelos, por exemplo, possuem uma quantidade muito grande das gorduras consideradas más, porém podem ser consumidas com consciência.

Pratique atividades físicas regularmente

A prática de atividade física regularmente também é outro hábito que deve ser adquirido. Uma dica é começar aos poucos, para que seu corpo se acostume, caso seja sedentário, e aumentar a frequência para o tanto quanto conseguir.

Um hábito que deve ser adquirido por todos é o de não pular o café da manhã, pois ele é a refeição mais importante do dia. É ele que irá te dar forças ao longo do dia para realizar suas atividades e que irá evitar que você tenha mais fome ao decorrer do dia, também.

Incluir alimentos ricos em proteínas nessa refeição, que te darão energia para aguentar o dia, é de suma importância. Cereais, como a aveia, a chia e a quinoa são boas opções para acompanhar iogurtes ou frutas, por exemplo.

Evite pular refeições!

Não pule refeições! Comer de forma regular, de três em três horas, faz com que o seu organismo fique estabilizado e que não haja a vontade de comer antes da hora, dando uma oportunidade para que você coma algo não tão nutritivo quanto deveria.

Evite, também, o tabagismo. Esse hábito é, comprovadamente, um dos piores a serem adquiridos por quem pretende manter um estilo de vida saudável, livre de doenças e outros incômodos.

Evite a ingestão de bebidas alcoólicas com frequência! Beber todos os dias é um hábito que também deve ser evitado caso você queira se reeducar. Beber esporadicamente, no entanto, é uma boa opção para quem não abre mão de uma cerveja no fim de semana.

A importância de começar a reeducação alimentar desde cedo

Desde pequenos, aprendemos com nossos pais ou com pessoas que nos cercam e nos educam, como os colegas e os avós, o que devemos comer e quais hábitos devemos adquirir.

Pode ser que esses hábitos adquiridos não sejam os melhores para a saúde.

Pais que consomem muitos doces e muito refrigerante e incluem esse tipo de alimentação na vida dos filhos desde pequenos podem ter dificuldade, depois, em mudar os hábitos das crianças conforme elas crescem.

Para isso, é necessário desde muito pequenos educar as crianças para que elas saibam quais escolhas devem fazer, evitando, também, restringir e privá-las de pequenos prazeres como comer doces na festa do coleguinha.

Tudo na vida é uma questão de equilíbrio

É importante ensina-los que tudo na vida é uma questão de equilíbrio, e que, na alimentação, não é diferente, que devemos ter noção de quando podemos burlar a nossa dieta balanceada, é provável que eles cresçam e se tornem conscientes de suas escolhas alimentares.

Entretanto, não são só os hábitos alimentares que devem ser mudados. O sedentarismo é muito comum, não só entre adultos, mas também entre as crianças, que gostam de ficar em casa apenas no computador e videogame, e não realizam nenhuma atividade ao ar livre e não praticam nenhum esporte.

Praticar atividades com o seu filho, como andar de bicicleta, fazer caminhadas no parque e até mesmo jogar futebol ou vôlei ou incentivá-lo a brincar com os coleguinhas em brincadeiras mais ativas pode fazer com que ele desenvolva o hábito e o gosto pelos exercícios, evitando que fique sedentário no futuro.

Cardápio perfeito para Reeducação Alimentar

A nutricionista Gabriela Junqueira traz muitas dicas interessantes para reeducação alimentar. Acompanhe no vídeo abaixo as dicas da nutricionista e saiba qual o cardápio perfeito para você emagrecer e ter uma vida mais saudável:

Comece a se exercitar agora mesmo!

Acompanhe o artigo 7 Melhores Exercícios para Perder a Barriga e comece agora mesmo a sua transformação! Recomendo que pratique esses exercícios pelo menos 3 vezes por semana, e incentive as pessoas que estão próximas a você a fazerem o mesmo!

Clique aqui para acessar o artigo com os melhores exercícios para emagrecer e ter uma vida saudável

Lembre-se: Se você quer ir rápido vá sozinho, se quer ir longe vá acompanhado! 

Reeducação Alimentar: Cardápio Perfeito para Emagrecer
4.3 (86.67%) 6 votes

4 Comentários


  1. Apreciei bastante o artigo sobre reeducacao alimentar!
    Passar a pratica…
    Obrigado.

    Responder

    1. Olá Mário,seja bem vindo!
      Reeducação alimentar é o primeiro passo para uma vida mais saudável.
      Abraço.

      Responder

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *